Literatura Infantil: Respondendo na Literatura Infantil-6

terça-feira, 18 de maio de 2010

Respondendo na Literatura Infantil-6

Recebi um e-mail perguntando-me como falar de morte para criança, através da literatura. "Lembrei-me de Millor Fernandes que em uma de suas fabulosas fábulas fala de uma criança que procurou o pai em desespero, porque acreditava que o animalzinho de estimação estivesse morto.Para abrandar o pânico da frustação do filho, o pai resolveu envolvê-lo num cerimonial de um enterro, tal como uma festa que passasse naturalmente por todos os eventos,mas que cada um deles saudasse não ao desepero da morte, mas a compreensão de que como inevitável é essencial que saibemos conviver com a morte. O ritual deu-se com toda ansiedade por parte do menino que inclua preparo do caixão, roupinhas, bolo para amiguinhos etc...
Que mais tarde ao constatar que o bichinho apenas desmaiara. Sugeriu ao pai que matasse de verdade. "
Há um começo e um fim para tudo que é vivo. No meio, há um tempo de vida. O mesmo acontece para pessoas, plantas, animais e até para o mais pequenino inseto. Este é o tema de Tempos de Vida, um livro lindo(vide foto acima) e comovente para todas as crianças e seus pais. Tempo de Vida é importante para todos nós porque nos ajuda a lembrar, a estudar e a explicar que morrer é tão parte da vida como nascer. Comentei sobre esse mesmo livro em março de 2008, aqui no blog.
Esse livro com certeza a ajudará explicar ao seu filho sobre a morte.
TEMPOS DE VIDA" -Bryan Mellonie e Robert Ingpen.
Espero te-la ajudado, qualquer dúvida estou a disposição!
Beijinhos, Rute Beserra!!!

8 comentários:

  1. Olá, Rute,

    Mais uma vez, obrigado pelo comentário em meu blog. Respondendo à sua pergunta: Todos os textos publicados em meu blog (o que inclui os contos) são de minha autoria).

    Quanto ao seu post, Sua sugestão é ótima. É muito complicado para pais (e também para professores) explicar a morte para a criança. É preciso, muitas vezes, utilizar o lúdico para que ela entenda, efetivamente, essa questão.

    Beijos e ótima quarta-feira.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelos textos Valdeir, obrigada pela atenção, beijinhos a vc!

    ResponderExcluir
  3. Rute,

    Eu que agradeço. Obrigado.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. ahahaha pois é. Já pensou pirataria de livros infantis, que tristeza? eles fazem de tudo..enfim...né. Cabe a nós nao aderir.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. A morte é, pois, tema tão antigo quanto o homem. Por isso,
    Trata-se de uma idéia enganosa pensar que uma criança não seja capaz de entender o que acontece com aqueles que morrem.
    A autora Wilma da Costa Torres tem um estudo interessante:
    em uma pesquisa realizada com 183 crianças de 4 a 13 anos, estudou a relação entre o desenvolvimento cognitivo e a evolução do conceito de morte. A autora pesquisou o conceito de morte ligado a três, dos quatro períodos do desenvolvimento cognitivo segundo Piaget.
    a) Período pré-operacional – as crianças não fazem distinção entre seres inanimados e animados. Não percebem a morte como definitiva e irreversível.
    b) Período das operações concretas – as crianças distinguem entre seres inanimados e animados, mas não dão respostas lógico-categoriais de causalidade da morte. Elas buscam aspectos perceptíveis, como a imobilidade para defini-la; contudo, já é capaz de perceber a morte como irreversível.
    c) Período das operações formais – as crianças reconhecem a morte como um processo interno, implicando em parada do corpo.

    Parabéns pelo Blog. Ele é ótimo! Abraços!!! [Admarino Júnior]

    ResponderExcluir
  6. Obrigada Admarino Junior, seja sempre bem vindo ao Literatura Infantil

    ResponderExcluir
  7. Caramba, minha lista de livros infantis que tenho que comprar já esta grande só pegando aqui no seu blog...kkkkkkkkkk... Vc vai me levar a falencia... Não resisto um livro...

    Bjuxxx mi amore...

    ResponderExcluir

Design by Juliana Garcia