Literatura Infantil: Abril 2020

segunda-feira, 20 de abril de 2020

Entrevista : Pedro Vale autor do Livro Azul Instantâneo


 Olá , tudo bem com vocês ? Estão se cuidado? Ficando em casa?  Logo essa pandemia irá passar, sejamos fortes e confiantes ,  Deus está no controle de tudo.
 Quem , me acompanha na Literatura Infantil, sabe o quanto fico honrada em entrevistar novos escritores e autores de livros, seja poesia, poema,literatura, literatura infantil, etc...
 Ao ser convidada pelo escritor português Pedro do Vale para ler o seu livro Azul instantâneo, não imaginava que encontraria nas páginas do livro algo tão inovador. Sim é inovador, Pedro usa nos seus textos jogos de palavras, com trocadilhos misturando palavras com sons. Confesso que ao ler. Pág. 27 do Livro venho ao meu pensamento de como seria esse poema com toques de guitarra, bateria e suspense. No outra postagem , falarei sobre o que senti ao ler a página 27, vamos a entrevista:

Entrevista:

Literatura Infantil: Em primeiro lugar quero agradecer a você por ter concedido a entrevista para o blog. Literatura Infantil
Em segundo lugar é sempre um prazer, como contadora de história conhecer novos autores de Literatura, poesias, poemas, drama, etc...


Autor: Eu é que agradeço Rute. O prazer é todo meu. Conhecer pessoas através de um livro é sempre muito especial.

Literatura Infantil: Como surgiu a ideia de escrever seu primeiro livro?

Autor: Foi curioso. Passei três anos a escrever freneticamente no Facebook sempre que sentia o impulso, mas só me apercebi de tudo mais tarde, quando estava a recolher os textos no computador. Na verdade, a ideia de compilar os textos foi determinante e não propriamente a ideia de os escrever.

Literatura Infantil: Como foi a escolha do título do livro?

Autor: Uma vez terminada a árdua tarefa da seleção dos textos, pensei: “Falta qualquer coisa”. Faltava o título. “Azul Instantâneo” foi o primeiro que me ocorreu. Como estava na linha de todo o processo de escrita (espontânea), nem me dei ao trabalho de reler a obra. Assim ficou. “Azul Instantâneo”.

Literatura Infantil: Quais autores inspiraram você escrever?

Autor: Admito que a obra “Um calculador de improbabilidades” de Ana Hatherly, que andava a devorar pelos (re)cantos da Universidade da Madeira me tenha inspirado a escrever. Fiquei fascinado. Mas também pode ter sido só o clique que faltava…

Literatura Infantil: Conte um pouco sobre suas experiências como autor?

Autor: Tem sido tudo fascinante. A primeira edição esgotou rapidamente e nestes dois anos e meio tive oportunidade de o apresentar em vários espaços diferentes para públicos muito heterogêneos, visitei escolas onde procurei incentivar os jovens a serem mais criativos (dentro e fora das redes sociais), juntei a família e os amigos em eventos relacionados com o Azul Instantâneo e tenho passado todos os meus dias a divulgá-lo em linha para todos os países do mundo lusófono.

Literatura Infantil:  Portugal é um pais de muitos leitores?

Autor: Creio que sim, que nunca se leu tanto como nos nossos dias. Agora, há a questão da leitura de poesia em Portugal. Muitos leitores não se aventuram porque acham que não vão gostar ou que não têm capacidade para a entender. Espero, com o Azul Instantâneo, que é uma obra maioritariamente poética, ajudar a abrir horizontes a imensa gente…

Literatura Infantil: Você tem planos de seguir carreira de escritor?

Autor: Nunca pensei nessa questão. Sou uma daquelas pessoas com quarenta anos que não faz ideia do que vai ser o seu futuro. Vai depender muito de como correrem os próximos tempos, que se avizinham de grande turbulência. Espero, contudo, viver muito o que aí vem para ter matéria para escrever novamente.

Literatura Infantil: Um poeta deve manter para sempre seus valores ou pode mudar de opinião, já que ele(a) viaja nas escritas.

Autor: Há valores dos quais não devemos abdicar, porém a nossa opinião já não julgo ser tão importante assim. Depende do tema sobre o qual a nossa opinião deva recair. Há poetas em toda a parte que nunca escreveram um verso, mas que pensam, sentem e agem poeticamente.
Eu sou um privilegiado por poder ser lido por tanta gente nesta época digital e global, mas confesso que acrescem sobre mim muitas responsabilidades. Todos temos um papel no mundo e, curiosamente, nunca como agora dependemos tanto uns dos outros para sobreviver. Espero estar à altura das minhas responsabilidades enquanto autor, da mesma forma que espero inspirar o máximo de leitores com este meu primeiro livro.

Literatura Infantil: Você costuma participar de eventos poéticos, saraus e feiras bienais e bate- papo?

Autor: Sim, sempre que me é possível, aqui na Ilha da Madeira, no norte de Portugal e através da internet também. Fiz um bate-papo na FLAL há uns meses. Foi interessante. Também divulgo o Azul Instantâneo em grupos de poesia, onde tem sido muito bem recebido. Ainda na semana passada foi declamado por um leitor brasileiro um poema do livro no Sarau do Seu Camilo, do CEU de São Mateus, em São Paulo.
Por outro lado, eu sou muito tímido. Nunca gostei muito de dar a cara. Preciso ganhar mais confiança para poder participar mais ativamente em alguns eventos poéticos, principalmente na Internet.

Literatura Infantil: A critica literária ajuda ou atrapalha?

Autor: No meu caso, tem sido a minha principal estratégia para promover o livro. Não receio nenhuma crítica negativa, apesar de saber que mais cedo ou mais tarde isso acontecerá.
Antes de me aventurar na edição independente, enviei alguns poemas a centenas de pessoas e recebi ótimos retornos. Recomendo sempre aos autores que me pedem conselhos que o façam. Que não tenham medo. É só usarem as tecnologias disponíveis e começarem a partir das reações a preparar um plano de divulgação.
Mas eu ainda estou na terceira divisão da literatura e da poesia. Em relação à crítica literária da comunicação social, espero que não me atrapalhem na possível escalada até à primeira divisão!

Literatura Infantil :Agradeço seu tempo e disponibilidade para responder  as perguntas ,
 quais são as suas ultimas palavras para encerrar  a entrevista.

Autor: Queria agradecer-lhe a oportunidade, Rute, e convidar todos os leitores do seu blogue a beber do Azul Instantâneo. Um fortíssimo abraço poético desde o Funchal, Portugal! Muita coragem Brasil!! Estamos juntos!!!




Conheçam, mas sobre o Pedro
Facebook: Pedro Vale
Insta gram: Pedro.vale.1293
Twitter: pedro10vale

  
Obrigada um grande abraço, Pedro.
Imagens : Pedro Vale



quarta-feira, 15 de abril de 2020

Meus Manuscritos- Convid-19

Conversando com uma amiga pelo WhatsApp sobre o coronavírus. A mesma indagou se eu achava que o mundo iria acabar com essa pandemia. E se o morcego era culpado (ela disse que havia lido que o morcego transmitia o coronavírus).
Ao qual me fez refletir, o mundo não vai acabar com essa pandemia, mesmo que a noite seja escura, haverá sempre um amanhecer com novas esperanças. O que muitos se apavoram é o medo do vírus e da morte. Sabendo que o contágio é muito rápido. Muitas vidas têm sido ceifadas ao redor do mundo, é desesperador.
Ninguém sabe de fato a origem do corona vírus , cientistas médicos correm contra o tempo para novos remédios e vacinas para a cura. Enquanto não encontram a cura. Continuamos a fazer a nossa parte, lavar as mãos, passar álcool gel, não estar em meio de aglomeração de pessoas , tomar os cuidados necessários com crianças, idosos e principalmente com nós mesmos, ficarmos atentos com informações falsas, que ao invés de nos ajudar nos deixam nervosas (os) ...
Lembrando que já houve outras epidemia e pandemia. Entre elas a gripe influenza que matou muitas pessoas, já é sabido que há injeção para a gripe de influenza.E do coronavírus não será diferente, e quando tudo terminar o mundo será outro, a vida será outra...
Deus está no controle de tudo.
Meus manuscritos: Rute Beserra-30/03/2020
imagem-foto  arquivo pessoal
Design by Juliana Garcia