Literatura Infantil: Agosto 2015

domingo, 30 de agosto de 2015

Fotos- Contação de História- Livraria da Vila Moema

Ontem contei história na Livraria da Vila, loja Moema. Agradeço a todos pais e crianças presentes.



IMAGEM:FOTO ARQUIVO PESSOAL

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Convite- Livraria da Vila



Sábado, 29 de agosto de 2015
ATIVIDADE INFANTIL
Tio Lobo- Contação de História

COM: Rute Beserra

Horário: das 16h às 17h
Local:  AUDITÓRIO
Loja Moema-Av. Moema, 493(011)5052-3540


quinta-feira, 27 de agosto de 2015

O leitor sorteado para ganhar o livro Folclore em Versos- Delícias do Brasil foi...

Olá queridos leitores quero agradecer a participação de todos .
A autora do livro escolheu a resposta do Pedro

- Porque você gostaria de ganhar esse livro?

Pedro 18 de agosto de 2015 19:48
Parabéns pela entrevista Rute e  parabéns pelas respostas Ieda
Acho que deveria ganhar o livro por amar culinária e literatura.


Parabéns Pedro, enviei um e-mail a você. Responda-me com o seu endereço para que eu possa
enviar o livro pelo correio.

Fiquem atentos, logo mais entrevista  com Palmira Heine, autora da obra 
" O autor é você"


terça-feira, 25 de agosto de 2015

COMUNICADO a quem conta histórias e/ou valoriza a arte narrativa e a arte educação


Com uma alegria do tamanho (ancestral) do "Slogan" do Portal encantatório: ERA UMA VEZ, nós Línguas Encantadas e EncantantesINFORMAMOS que nossos fóruns, encontro e mais ações, onde buscávamos e BUSCAMOS
- a valorização do ofício do contador
- a ampliação do mercado,
- a pesquisa de repertório,
- o embasamento/formação do contador
- a formação de cadastro,
- o DRT especial e ESPECÍFICO para contador de histórias,
- Políticas públicas/fomento/incentivo fiscais p/ projetos de Arte Narrativa.
QUE NOSSA LUTA, obteve uma importante VITÓRIA:
O ver. Ricardo Nunes, entendendo a importância da matéria, propôs o projeto Lei 101/15, que cria a Semana municipal dos contadores de histórias em São Paulo. Propondo que de 28/7 a 4/8 em equptos. públicos municipais de Educação, Cultura, Saúde, Direitos Humanos,Assistência Social, Políticas públicas para Mulheres e do Verde e meio ambiente acolham ações de contadores de histórias.
O projeto, após passar por todas as comissões e as 5 sessões ordinárias, foi aprovado sem óbice e pela PERTINÊNCIA ( o texto na justificativa, versava sobre a instrumentalidade da arte narrativa enquanto mantenedora das tradições orais, propositora da valorização do ato de ler, da convivência criativa, do fortalecimento das competências criadoras, do fomento à humanização e da promoção da cultura de paz).
E o projeto 101/15 VIROU, GRAÇAS A DEUS, a LEI 16.245/15.
É uma vitória de todos nós Contadores de Histórias!

E a próxima Lei que buscamos/apoiamos é a criação da semana do contador de história no Brasil. Aproveitamos e convidamos para a audiência pública em Brasília em 22/10, juntamente com nossos parceiros da Associação Amigos das Histórias . Maristela PapaWilliam ReisEdvânia Braz Teixeira RodriguesQueila Branco.

Estejam conosco em um colorido, entusiasta e encantado 

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

sábado, 22 de agosto de 2015

Fotos-Sarau de Contadores de História-CEU CAMINHO DO MAR-Jabaquara

Para encerrarmos o encontro  com o Contador de História Jeff  Hernandez de Costa Rica, foi realizado no último domingo dia 16 de agosto  um sarau com contadores de histórias aqui em São Paulo no Ceu Caminho do Mar em Jabaquara-SP



Fonte da imagem: Arquivo Foto Pessoal

domingo, 16 de agosto de 2015

Fotos do Curso e Oficina de Contação de História - Jeff Hernandez


Amei o curso Jeff. Agradeço a organizadora do Evento Evaldete Martins pela confiança no meu trabalho e o Beto do Fantoche por suas lindas histórias.
Obs.  Na próximo  sábado (22/08/15) postarei as fotos do Sarau de Contadores de História, com  Jeff  Hernandez, Rute Beserra, Beto dos Fantoches.


Fonte:Arquivo foto pessoal

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

É NESSE FINAL DE SEMANA- ÚLTIMAS VAGAS

Curso: Formação e Oficina de Contação  de História
Data: Curso: 15 de agosto de 2015
Local: Salão Espaço Nobre
Endereço: Rua Capitão Valdir Alves de Siqueira, 34 - Vila do Encontro- Jabaquara-SP
Horários: Turma Matutina: das 09h às 12hs
                 Turma Vespertina: das 14h às 17hs
Capacidade: 60 participantes por  turma 

Forma e período de Inscrição para o curso : Os interessados se inscrever de 28 de março a  13 de agosto  de 2015.
Copiando e colando  ficha de inscrição  abaixo  para o  e-mail

Ficha de  inscrição :: Formação e Oficina de Contação de História
Nome:
Endereço:
Cidade:
 Estado:
Telefone
 E-mail:
Profissão:
Instituição ou empresa que trabalha:

Horários: Turma Matutina das 09h às 12h dia 15/08   (      )
Contação, sempre contação: Esta oficina é mais específica para o desenvolvimento de contações sobre diferentes áreas do conhecimento. Aqui desenvolvemos uma análise da estrutura narrativa no dia a dia e sua aplicação ao ensino.


Horário: Turma Vespertina das 14h às 17h dia 15/08   (    )
Intro ao Conto: Esta oficina é uma introdução à estrutura básica de uma história e à contação cênica de histórias. A través de diferentes contos brincaremos com a estrutura básica para aprender algumas possibilidades e aplicações que a contação tem, para o ensino e a terapia, por exemplo.

Público-Alvo: As oficinas são destinadas  a professores  educadores, contadores de história. Contudo, se outros profissionais e mesmo estudantes tiverem interesse, poderão participar.
Valor: R$ 50,00.
Se  houver  interesse em participar dos dois módulos, desconto especial de R$100,00   por R$70,00.
 Quantidade de Vagas: Duas turmas de 60 alunos; (MANH  E TARDE)
Material: Será fornecida apostila específica preparada para o curso.
Certificado
 Será fornecido coffe break e certificado de participação ao final do curso .

 O pagamento deve ser feito através de transferência bancária:

Banco do Brasil
Cliente: Evaldete Maria Martins da Silva
Agencia: 0300-X     Conta: 161.076-7

Feito o pagamento enviar o depósito  digitalizado para o e-mail.
trocadevivenciaspedagogicas@hotmail.com

A inscrição só é válida após pagamento


                  
Patrocínio: Troca de Vivência Pedagógica da Val e CIA

Literatura  Infantil por Contadora de História-Rute  Beserra




segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Entrevista com a autora do Livro: Folclore em Versos: Delícias do Brasil -Ieda de Oliveira




Ieda de Oliveira é doutora em Letras pela USP com a tese "O contrato de comunicação da literatura infantil e juvenil", ed. Nova Fronteira, pela qual recebeu o selo Altamente Recomendável da FNLIJ e o prêmio José Guilherme Merquior, de crítica literária, da UBE. Escritora com várias obras de ficção e teóricas publicadas, merecem destaque “Emmanuela”, da ed. Saraiva, finalista do prêmio Espace Enfants, na Suíça, e ganhadora do prêmio Adolfo Aizen de Literatura Infantil, e a série “O que é qualidade em literatura infantil e juvenil”, ed. DCL, ganhadora do Altamente Recomendável da FNLIJ e referência nos estudos de literatura infantil e juvenil, além de "As cores da escravidão", ed. FTD, finalista do prêmio Jabuti e publicada no catálogo White Ravens 2014, onde foram apresentados os melhores livros infantis e juvenis do mundo, lançados em 2013. Seus livros - ela já publicou mais de 25! - a levaram a muitos eventos literários no Brasil e no exterior, inclusive como conferencista, e têm sido adquiridos por programas de governo como o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) 

Literatura Infantil: Em primeiro lugar, quero agradecer a Ieda de Oliveira por conceder a entrevista para o blog. É sempre um prazer pra mim, como contadora de histórias, conhecer novos autores de Literatura Infantil.

Autora: 
 O prazer é todo meu.
Literatura Infantil: O seu novo livro, “Folclore em versos: Delícias do Brasil”, da ed. Zit, é o resultado do encontro entre a arte literária e a arte culinária. A união das duas artes nos brinda com um maravilhoso livro de versos e até receitas. Conte-nos um pouco sobre ele.

Autora: 

 Quis fazer algo diferente, de uma maneira diferente. Além de fazer versos que falassem das comidas que existem no Brasil, quis também trazer receitinhas e um bate-papo sobre a importância da qualidade dos alimentos. Unir as duas artes numa única atividade lúdica. Fui uma criança que adorava brincar de fazer comidinha e festa de bonecas. Meu pai compreendeu essa vontade e me ajudou a cozinhar de verdade. Comprou um pequeno fogão pra mim, me ensinou a manusear com total segurança sob sua supervisão e eu fazia um monte de comidinhas. Acabei virando promoter das festas de bonecas das minhas amiguinhas. Sempre adorei inventar palavras, histórias e músicas. Acho que foi ali, inconscientemente, que se deu essa fusão das duas artes: a culinária e a literária. Como escritora hoje, que escreve para a infância, trago parte da minha para meus livros.
Literatura Infantil : Entre os vários livros já lançados por você, o que me chamou mais atenção foi “ O Cheiro da Morte  e outras histórias”, da ed. Biruta. Pelo título, já pensei em algo macabro. Ao ler alguns trechos, percebi que a história é de arrepiar, sim, mas repleta de amor. Então é verdade que um livro não se julga pelo título? 

Autora: 

 O título é sempre difícil de se definir, principalmente num livro de contos. Esse livro O cheiro da morte e outras histórias, (título de um dos contos) em sua primeira versão se chamava Contexto sinistro histórias fantásticas.  Mesmo sendo contos que apresentam sentimentos como amor, medo, inveja etc, prevalece o "extraordinário" o que não tem explicação racional para acontecer, mas acontece e não temos como explicar à luz da razão.
Literatura Infantil: O livro “As Cores da Escravidão” conta-nos a história do personagem Tonho. Em um dos momentos, ele percebe que não era o Marquês de Marabá, voltando-se para a sua realidade. Houve aqui uma intertextualidade com a figura do gato?

Autora:

 Sim, há uma intertextualidade com O gato de botas e uma sinalização para as várias possibilidades associativas com a figura do gato, que como sabemos, entre outras coisas, é o nome que recebem os aliciadores de pessoas para o trabalho escravo rural.
Literatura Infantil: No Brasil, sabemos que a leitura, infelizmente, não é um hábito da população geral. Quantos livros, em média, você lê por mês? E qual está lendo agora?

Autora:

Entre dois  e três livros por mês (se estiver de férias o número aumenta consideravelmente) e vários a artigos e ensaios  ligados a assuntos que esteja pesquisando no momento. Atualmente leio O incolor Tsukuru Tazaki e seus anos de peregrinação, de Haruki Murakami, e faço pesquisa (ainda em segredo) para meu próximo livro.
Literatura Infantil: Pode nos contar um pouco sobre seu trabalho teórico associado à literatura infantil e juvenil?


Autora:
 Durante muitos anos atuei como professora de Teoria da Literatura porque sempre me interessou o fenômeno  literário como um todo. Quando comecei a escrever profissionalmente  para crianças e jovens, senti necessidade de pesquisar sobre esse tipo de produção, tão específico e tão mal compreendido. Pesa ainda, infelizmente, sobre a literatura infantil e juvenil um equívoco olhar pelos que a consideram uma produção menor, inferior à produzida para adultos. Esse fato me levou a uma pesquisa que resultou numa tese de doutorado defendida na USP e que recebeu  dois importantes prêmios literários. À luz do conceito de contrato de comunicação da análise semiolinguística do discurso, pude demonstrar que a literatura infantil e juvenil tem regras próprias de produção,  diferentes das da literatura produzida para adultos e que isso não a torna inferior. E, se foi assim considerada, foi por ter sido avaliada a partir de conceitos não aplicáveis a ela. A qualidade da literatura  infantil e juvenil não pode ser mensurada por comparação à produzida para adultos, mas a partir dela mesma. Além da minha tese, O contrato de comunicação da Literatura infantil e juvenil, originalmente publicada pela ed. Lucerna, organizei a série O que é qualidade em literatura infantil e juvenil- com a palavra: o escritor; depois, com a palavra o ilustrador; e, por último, com a palavra o educador, pela ed. DCL.
Literatura Infantil: Toda quarta-feira, em meu blog, publico um quadro com perguntas de leitores sobre alguns livros infantis. Uma vez, me perguntaram se eu conhecia um livro para crianças que falasse sobre a morte, e uma de suas obras, "Emmanuela", toca justamente no delicado tema. Por favor, fale um pouco a respeito desse livro aos meus leitores.

Autora: 

Esse livro foi muito difícil pra mim. Nunca havia parado para pensar a morte. Decidi encarar o desafio e para isso precisava sentir de perto o desamparo e impotência que ela provoca. Defini que meus personagens seriam crianças, que teriam a surpresa de ter de conviver com a morte iminente de um irmão. A partir daí, com a autorização da direção de um hospital de cardiologia, comecei, como voluntária, a frequentá-lo e ajudar no que fosse possível. Ali convivi com a dor de pais, de crianças que sofriam com doenças cardíacas, algumas com pouca ou nenhuma chance de sobrevivência. Foi um período de intenso sofrimento e aprendizagem que durou cerca de um ano. Depois, levei mais quatro anos digerindo tudo que tinha visto e vivido lá. Quando sentei para escrever o texto, levei quinze dias. O livro foi bem recebido pela crítica, inclusive no  exterior (foi finalista no Prix Espace Enfants, na Suíça), pelos  leitores e me deu condições de um profundo amadurecimento como pessoa e escritora.


Literatura Infantil: Um escritor (a) deve manter para sempre seus valores ou pode mudar de opinião, já que ele (a) viaja nas histórias?

Autora:
 É preciso definir o que se considera como valor. Para mim existem elementos de convivência que considero imutáveis como: respeito ao outro, delicadeza, honestidade, sinceridade, amor. Tento em minha prática diária mantê-los comigo. Se um texto é escrito por mim, é natural que eles transpareçam. 
Quanto à opinião, acho que pode e deve ser mudada, se for equivocada ou incompleta.A gente deve ter sempre a mente aberta para ouvir o que o outro tem para dizer e, se for o caso, aprender com ele. 


Literatura Infantil: Qual o papel da leitura para a criança, na sua opinião, com relação à compreensão do mundo?

Autora: 
A Leitura é condutora de sonho e de partilha. Ler e ouvir histórias são caminhos para a compreensão do mundo.


Literatura Infantil: Agradeço seu tempo e disponibilidade para responder as perguntas. Gostaria de deixar um recado aos leitores, antes de encerrarmos a entrevista? E onde eles poderão encontrar seu novo livro, "Folclore em versos: Delícias do Brasil"?

Autora:
O livro pode ser encontrado nas livrarias virtuais ou no site da editora Zit:  http://ziteditora.com.br.
Para estar comigo:
É só curtir minha página no facebook
ou visitar meu blog
Meu recado para os queridos leitores:
Não percam uma única oportunidade de fazer alguém feliz!
Um beijo a todos.

Sorteio: Que tal ganhar um exemplar do livro: Folclore em versos: Delícias do Brasil?

É bem simples Complete a frase. Eu gostaria de ganhar esse livro, porque...........
Deixe sua frase no comentário. Enviarei à autora para que escolha a melhor resposta. 
O sorteio será na próxima quinta-feira dia 27 /08/15
Bora participar?
 Imagem concedida pela assessoria de imprensa 


domingo, 9 de agosto de 2015

Feliz dia dos Pais

Pai, obrigado por compartilhar comigo os melhoresmomentos da minha vida. Você é o melhor pai do mundo. Feliz Dia dos Pais a todos pais da blogsfera
Beijos Rute

sábado, 8 de agosto de 2015

Fotos> Semana Municipal de Contadores de História


UM POVO HÁ, QUE:
. Conduz as criaturas ao êxtase sem culpa, ou decoro!
. Permite curas de memórias sem remédio amargo!
. Convida à leitura como quem oferece maná!
. Apresenta (POR DENTRO) a cova dos leões e um Daniel tranquilo e confiante!
. Evoca imaginação como mostrando os girassóis de Van Gogh!
TRASLADA-SE até ALÉM-ALMA como quem transcende o Nirvana!
E porquê? Porque quando conta ENTREGA A ALMA; Por isso IMPACTA
Quem é este povo? OS CONTADORES DE HISTÓRIAS,OS LÍNGUAS ENCANTADAS!
Crédito das fotos: Andrea Sousa

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Línguas Encantadas e Encantantes‎ LÍNGUAS ENCANTADAS E ENCANTANTES convidam:



POR UMA SEMANA DE HISTÓRIAS!
Pela aprovação do Projeto de Lei n. 101/15, do vereador Ricardo Nunes.
Muitas histórias serão contadas na Câmara Municipal de São Paulo!
O Projeto de Lei 101/15 do Vereador Ricardo Nunes que propõe a criação da SEMANA MUNICIPAL DOS CONTADORES DE HISTÓRIAS e incluí-la no calendário oficial de eventos da Cidade de São Paulo. A Semana Municipal dos Contadores de Histórias acontecerá na Rede Municipal de Educação, nos equipamentos de Cultura, nos órgãos de Saúde, de Assistência Social e nas entidades assistenciais/educativas/culturais conveniadas com a Prefeitura. Dentre outros benefícios, a arte narrativa desperta o gosto pelo livro e pela leitura, difunde conhecimentos, evoca memórias afetivas, fragiliza diferenças, aproxima as pessoas. A ação no auditório Prestes Maia, é uma iniciativa do Grupo LÍNGUAS ENCANTADAS E ENCANTANTES, que reúne NARRADORES DE HISTÓRIAS, escritores, jornalistas, arte educadores, psicólogos, mestres da cultura popular, pedagogos, psicopedagogos e comunicólogos, que promovem fóruns de discussão da arte narrativa, pesquisa de repertório e a valorização do ofício dos Contadores de Histórias.
Onde: Auditório Prestes Maia - CMSP.
Horário: das 14:00 às 16:00
Dia 04 de agosto de 2015.
Design by Juliana Garcia